Notícias

O uso de Branqueadores Ópticos no processo de reciclagem de PET

Reciclagem é um tema cada vez mais comum e discutido pelas companhias e pela sociedade como um todo. Em linha com este movimento, cada vez mais, as organizações têm pensado em como tornar seus processos produtivos mais sustentáveis ou ainda, como podem garantir que o descarte de seus produtos seja feito de maneira correta, gerando menor impacto ao meio ambiente. De acordo com documento gerado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), infelizmente, apenas 3% do lixo produzido no Brasil é de fato reciclado.

Quando falamos de reciclagem de plásticos, um dos grandes desafios do processo de reciclagem de resinas termoplásticas é como recuperar as características ópticas da resina virgem ou similar, possibilitando a aplicação em peças e artigos com requisitos estéticos como estabilidade de cor e ou transparência. Com a reciclagem, é possível reaproveitar a matéria-prima para novas aplicações, reduzindo consideravelmente o uso de resinas virgens e economizar recursos como água. Segundo a ABIPLAST, Associação Brasileira da Indústria de Plástico, a cada uma tonelada de material plástico reciclado produzido são economizados 450 litros de água na produção.

Hoje existem uma série de tipos de resinas plásticas que são conhecidas através de siglas como PET, PEAD, PVC, PP, entre outros. Matéria-prima muito utilizada no mercado de embalagens de alimentos e bebidas e considerado uma das principais resinas plásticas, o PET (Politereftalato de Etileno), apresenta características como transparência e resistência mecânica, que possibilitam o seu uso em diversas aplicações.

Indo ao encontro da necessidade de redução do impacto ambiental proveniente do descarte incorreto de insumos e artigos plásticos, a reciclagem do PET avança no mercado nacional tendo como principal processo a fabricação de fibras têxteis. Entretanto, sua reciclagem ainda apresenta uma série de desafios para a indústria.

Durante o processo de reciclagem do PET é comum que o produto apresente um aspecto amarelado, o que pode ser um problema e limite a aplicação da resina reciclada. Para melhorar os aspectos visuais da resina reciclada, recomenda-se o uso de aditivos durante processo de reciclagem. O uso de Branqueadores Ópticos é uma ótima opção para promover maior alvura à resina PET, reduzindo assim o aspecto amarelado proveniente da degradação causada pelos processos de transformação, vida útil do produto e reciclagem da resina.

Adicionalmente, os Branqueadores Ópticos são corantes encapsulados que possuem a propriedade de conferir alvura através do mecanismo de fluorescência. Estes produtos atuam absorvendo a luz no espectro UV e emitindo luz no range azul do espectro visível. Resultando assim em uma tonalidade azulada, refrescante e limpa.

A quantiQ, referência em distribuição de produtos químicos, oferta ao mercado o Branqueador Óptico OB-1, indicado para aplicação em resina PET assim como outros polímeros como PS, PVC, ABS, SAN e PC.  Para saber mais sobre a matéria-prima e suas aplicações, entre em contato por meio do e-mail plastico@gtmchemicals.com

 

Este artigo foi escrito pelo nosso colaborador Leandro Souza, gerente comercial do mercado de Plástico.